Categoria discute retomada da campanha salarial de 2017

Publicado em 16/01/2017

Reunião do Fórum dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) que acontece na Fenajufe na quinta-feira (18), a partir das 9 horas, também debaterá melhores estratégias de combater às reformas propostas pelo Governo como a da Previdência

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe)  realiza seu primeiro encontro de trabalho em 2017 na quarta-feira (18), na sede Fenajufe em Brasília. O objetivo é discutir o momento delicado pelo qual passa o serviço público, com os sucessivos ataques do governo contra direitos dos servidores. Na reunião também será discutida a indicação da data do primeiro final de semana de fevereiro para a realização de  Reunião Ampliada dos servidores em Brasília.

Na atual conjuntura, o acelerado quadro de ataque aos trabalhadores preocupa e indica uma situação insustentável para o serviço público, que já é precário. Escassas condições de trabalho, déficit de servidores para suprir a demanda no atendimento público e a falta de investimento do na ampliação destes serviços, agravam ainda mais o cenário. Agora, o governo propõe nova reforma da previdência que, na prática, significa a perda ao direito de aposentadoria: é trabalhar até morrer!

Nas últimas mobilizações de 2016 a pauta que unificou os servidores públicos foi a luta contra a PEC 55 e a reforma da previdência. Nos atos organizados contra a proposta, milhares de trabalhadores, estudantes, quilombolas e movimentos sociais manifestaram a indignação com o desmonte do Estado Brasileiro proposta pelo atual governo.

Em resposta, a Policia Militar do Distrito Federal agiu com violência desproporcional, tratando como bandidos os trabalhadores que foram à Esplanada dos Ministérios lutar por seus direitos. No Congresso, senadores, encastelados, repetiram a posição covarde da Câmara. De joelhos, satisfizeram a vontade do Planalto, num verdadeiro jogo de toma lá da cá.

Agora, as Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais se preparam para a campanha salarial de 2017, ainda discutindo a pauta geral de reivindicações apresentada ao governo no ano passado. As negociações não caminharam e muitos setores mantiveram greves e paralisações até meados de dezembro. Ao lado da pauta de luta contra as reformas trabalhista e da Previdência, a construção da unidade será o maior desafio.

---
Com informações da Fenajufe, com edição pelo Sinjufego