Em Goiânia, 70 mil participaram da Greve Geral do dia 28/04

Publicado em 02/05/2017


Na avaliação dos coordenadores, cerca de 70 mil trabalhadores do campo e da cidade, estudantes e militantes de entidades do movimento social e popular realizaram, na manhã do dia 28/04, um grande ato no centro de Goiânia. A manifestação integrou a Greve Geral, organizada por todas as centrais sindicais, pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e, em Goiás, pelo Fórum Goiano contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, coletivo do qual o Sinjufego faz parte.

A tônica do movimento foi a resistência às Reformas Trabalhista e da Previdência e a terceirização irrestrita, todas propostas pelo Governo Temer. 

A concentração aconteceu em frente à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego). De lá, o ato seguiu pelo centro da cidade, passando pela Praça Cívica e descendo a Avenida Goiás até a Praça do Bandeirante. Ao longo da caminhada, dezenas de entidades presentes fizeram intervenções com o objetivo de alertar a população acerca dos perigos da aprovação das Reformas de Temer.

A mobilização dos trabalhadores foi bastante significativa e plural. Além dos trabalhadores do serviço público federal, estadual e municipal, várias categorias da iniciativa privada atenderam ao chamado das centrais, como bancários e trabalhadores da rede privada de ensino. O transporte coletivo também foi parcialmente paralisado, com o fechamento da garagem da Metrobus até às 9 horas de manhã. Além disso, rodovias estaduais e federais foram bloqueadas em quatro pontos do Estado.

O movimento também foi forte no interior. Aconteceram manifestações nas cidades de Valparíso de Goiás, Formosa, Jataí, Niquelândia, São Miguel do Araguaia, Cidade Ocidental, Cavalcante, Águas Lindas, Anápolis, Rio Verde, Catalão, Palmeiras de Goiás e Pameuns (Distrito de Jandaia). 

O Coordenador do Fórum Goiano contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, João Pires, considerou a manifestação bastante positiva e acredita que a mobilização só foi possível com a unidade da luta. “As medidas do governo, que vieram desde o ano passado, unificaram a ação das Centrais Sindicais e Movimentos Populares. A resistência às reformas é uma pauta de todo o movimento social, uma vez que, independente da situação ou categoria, todos(as) serão atingidos(as). Precisamos intensificar cada vez mais a luta contra os ataques do governo corrupto de Michel Temer”, concluiu.

Sinjufego participou ativamente da Greve Geral do dia 28/04/2017. Desde as primeiras horas do dia a diretoria do sindicato e os servidores da Justiça Federal já se encontravam concentrados na entrada principal da JF-GO que foi o ponto de encontro para aguardar os servidores do TRE-GO e do TRT-GO. 

Sinjufego disponibilizou ônibus para o transporte dos servidores do TRT-GO até a JF-GO. Desse local, portando faixas, cartazes e banners, os servidores fizeram passeata até à Assembleia Legislativa de Goiás, juntando-se assim aos demais servidores de outras entidades. 

Registre-se a adesão ao movimento paredista dos servidores das Zonas Eleitorais do interior do Estado que atenderam à deliberação do sindicato de paralisação das atividades. Duplamente afetados, tanto pela Reforma Trabalhista, uma vez que essa promove o desmonte da Justiça Laboral, quanto pela Reforma da Previdência, houve boa participação dos servidores do TRT-GO. Informações chegadas ao sindicato deram conta que o Núcleo de Conciliação do órgão não funcionou no dia 28/04. 

Veja abaixo a série de fotos da participação do Sinjufego:







--

Do Sinjufego com informações do Sint-Ifesgo