Servidores do Judiciário Federal de Goiás aprovam paralisação no dia 28

Publicado em 26/04/2017

Compartilhe


Durante o dia de ontem, 25, terça-feira, a diretoria do Sinjufego realizou 3 (três) assembleias setoriais. Com expressiva participação dos servidores, ao final ficou decidido que a categoria goiana irá se juntar às diversas outras entidades do serviço público na Greve Geral do dia 28/04/2017. 

Essa data será o dia dedicado à luta contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária, propostas que o Governo Temer e sua base parlamentar querem aprovar a todo custo, sem discussão aprofundada com a sociedade e com objetivo somente de agradar o mercado financeiro.

O dia de ontem começou com mobilização logo pela manhã, às 11h, com a assembleia setorial no TRT-GO. Em seguida, às 13h, o sindicato já estava na sede do TRE-GO para se reunir com os servidores do Regional e às 15h já estava debatendo com os filiados da Justiça Federal (JF-GO). 

Em todas as assembleias setoriais realizadas no dia de ontem ficou latente a indignação dos servidores, em especial, com a Reforma da Previdência. No TRT-GO a preocupação foi aumentada com a aprovação da Reforma Trabalhista na Comissão Especial da Câmara, proposta que vai provocar o maior desmonte dessa Justiça Especializada, com esvaziamento de sua importância na solução dos conflitos laborais uma vez que o negociado entre patrões e empregados estará acima do legislado. Nunca é demais lembrar que o atual presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deu declarações recentes de que a Justiça Trabalhista não deveria existir.

Com aprovação da paralisação no dia 28/04, o Sinjufego já formalizou a comunicação aos Tribunais. O presidente do sindicato, Leopoldo Lima, vai fazer a negociação da paralisação com os dirigentes dos órgãos judiciários de Goiás, inclusive irá pedir a eles apoio institucional para a mobilização. Alguns Tribunais Regionais do Trabalho já comunicaram que irão suspender o atendimento no dia 28/04 e há possibilidade das audiências do TRT-GO, designadas para o dia 28, serem canceladas por não haver servidores para realizá-las. 

No TRE-GO foi sugerido que o sindicato promova campanhas de esclarecimento à população sobre o real desconto da contribuição previdenciária, alertando que os servidores sofrem desconto com base na integralidade da remuneração. Na Justiça Federal (JF-GO) foi criada uma comissão de servidores para mobilizar ainda mais os demais servidores no dia da paralisação.

No dia 28/04, sexta-feira, a diretoria do Sinjufego e os servidores do Judiciário Federal de Goiás irão participar das atividades do Fórum Goiano contra a Reforma da Previdência: às 8h começa a concentração de todas as entidades na Assembleia Legislativa de Goiás, após haverá deslocamento até a Praça Cívica para depois seguir em passeata até a Praça do Bandeirante, todos percursos curtos. Para o Sinjufego, o sucesso da paralisação do dia 28/04 será o fracasso do Governo na votação da Reforma da Previdência cuja deliberação está marcada para ocorrer no dia 02/05 na Comissão Especial da Câmara. A Reforma da Previdência é uma pauta comum que atinge o conjunto dos servidores públicos, daí a estratégia de fortalecer a união entre as várias entidades representativas dos servidores para pressionar os parlamentares de Goiás a não aprovarem a PEC 287/2016. 

Além do presidente do Sinjufego, Leopoldo Lima, estiveram nas assembleias setoriais os diretores Luciano Cardoso, Valmir da Mota, João Batista, Aurélio Gomes, José Pereira e Nélson Palmerston. 

---

Sinjufego